Pânico pelo fim do mundo

O pânico causado pela famosa profecia maia que decreta o fim do mundo para o próximo dia 21 de Dezembro chegou à Rússia













O temperamento russo é especialmente dado ao espírito trágico, a uma espécie de grandiosidade que costuma implodir. Talvez por isto é que a distorcida versão apocalíptica do fim do calendário maia germinou na psique coletiva deste enorme país como um tipo de psicose.
Segundo o New York Times, existem informações que indicam comportamentos insólitos nos 9 diferentes fusos horários da Rússia.
Em um presídio feminino o pandemônio da "psicose em massa" fez com que as autoridades procurassem por um sacerdote para acalmar as detentas. Em um povoado industrial próximo de Moscou, cidadãos em pânico roubam gasolina, isqueiros, açúcar e velas. Um portal gigante de gelo de estilo maia está sendo construído na rua de Karl Marx em Chelyabinsk.




O pânico propagou-se, ao que parece, alimentado pelos constantes programas de TV e rádio sobre este tema -a cultura maia tem uma certa aproximação com a Rússia através do trabalho de arqueólogos e especialmente do etnolinguista Yuri Knorosov, a peça chave para decifra o sistema de escrita maia.
As autoridades tiveram que tomar as rédeas no assunto. Nesta sexta-feira passada o ministro encarregado das situações de emergência, fez um comunicado dizendo que o governo tem métodos de monitorar o que está acontecendo na Terra e que podiam garantir que o mundo não vai acabar em dezembro. Ainda que os russos, certamente, seguiam sendo vulneráveis a "tempestades, avalanches, tornados, inundações, problemas de transporte e de alimento, apagões e seca".
Neste mesmo sentido, a autoridade sanitária da Rússia, um alto oficial da Igreja Ortodoxa Russa, legisladores e um ex DJ da Sibéria muito famoso declararam publicamente que o mundo sobreviverá neste mês. Alguns inclusive propuseram penalizar quem continue espalhem o rumor.
Algumas pessoas decidiram faturar com esta febre e vendem kits de sobrevivência para os mais incautos e os mais safados oferecem até mesmo desconto na redenção no caminho para o céu, demonstrando que ideia do fim de mundo marca com inusitada facilidade sobre a consciência russa.
Por outro lado, na França as autoridades decidiram proibir o acesso das hordas new age à montanha Bugarach, um lugar onde, dizem, avistaram OVNIs e supostamente é o local que protegerá os eleitos do fim do mundo. No Brasil, na Serra Gaúcha, o prefeito de São Francisco de Paula, cidadezinha a 110 km de Porto Alegre, fala sobre o calendário maia e acha importante informar e alertar a população sobre as catástrofes que estão por vir. Décio Colla, não se sabe se por ignorância ou esperteza (conquistar turistas do apocalipse), diz que a cidade, por estar a 900 m acima do nível do mar, servirá como refúgio para quem teme o fim do mundo.



Segundo o site nytimes

1 Response to "Pânico pelo fim do mundo "

  1. Nunca podemos duvidar das profências,sobre 2012,é só vemos o calor que esta fazendo fora do comum coisas que co meus quase sessenta anos nunca vi igual,chove muito pouco e não esfria nada matem sempre o calor insuportavel,isto esta ocorrendo na minha região estado do Paraná.não estou gostado disso é minha opinião,só minha é que eu acho.

    ResponderExcluir

Produtos em destaque no site

Promoções imperdíveis!