Game em que o jogador controla um atirador que massacra inocentes, tem causado polêmica

O shooter ultraviolento Hatred, em que o jogador controla um atirador que massacra inocentes, tem causado polêmica antes mesmo de ser lançado. O game acaba de voltar à listagem do Steam Greenlight, um dia depois de ser removido da área da loja destinada a projetos em desenvolvimento, que podem ser votados e julgados pela comunidade a partir de screenshots e versões inacabadas.


No trailer disponível, o protagonista aparece preparando um verdadeiro arsenal de metralhadoras e facas antes de sair para as ruas estraçalhando todos que ele encontra na sua frente. As execuções são detalhadas, com crânios explodindo e muito – MUITO – sangue. Uma possível causa da retirada seria que o jogo não obedece aos critérios necessários para ser votado e vendido. Segundo os termos da Valve, para o envio de projetos ao Steam Greenlight, o game não pode conter material ofensivo, violar direitos autorais ou de propriedade intelectual.
Game em que o jogador controla um atirador que massacra inocentes, tem causado polêmica

Segundo reportagem do Ars Technica, um dos responsáveis pela volta do jogo teria sido o próprio Gabe Newell, chefão da Valve e criador do Steam, que enviou um e-mail para Jaroslaw Zielinski, CEO da Destructive Creations, empresa desenvolvedora de Hatred.
No e-mail, Gabe disse o seguinte:
“Olá, Jaroslaw.
Ontem ouvi que havíamos retirado Hatred do Steam Greenlight. Já que não sabia exatamente dos detalhes do ocorrido, perguntei internamente para descobrir a real razão pela qual o fizemos. No final das contas foi uma má decisão e Hatred estará disponível normalmente. Peço desculpas para você e para sua equipe. O Steam está em fase final de criação de uma ferramenta para criadores de conteúdo e consumidores.
Boa sorte com seu jogo.
Gabe”
Desde a volta de Hatred ao Steam, o jogo se encontra em primeiro colocado nas votações.

























Fonte: info Fotos: Divulgação

0 Response to "Game em que o jogador controla um atirador que massacra inocentes, tem causado polêmica"

Postar um comentário